Retalhos de Vidas – Quinta parte O Desgosto de Branquinha

António tinha ficado muito intrigado: "sobrinho" da Tia da Mariazinha, muito parecido com ela, com quase vinte anos de idade... seria possível? Não! Nem pensar! Ele tinha a certeza que tudo tinha corrido de feição... no entanto, a dúvida não o abandonava... E se alguma coisa tinha corrido mal, nesse dia tão longínquo? E se …

Continuar a ler Retalhos de Vidas – Quinta parte O Desgosto de Branquinha

Retalhos de vidas – Quarta parte Xavier e Branquinha

  Xavier e a sua Tia, no próprio dia em que chegaram, foram fazer uma visita à Igreja da Lapa. A Tia já há quase vinte anos que não entrava nesta igreja que era a sua preferida, desde sempre. Procuraram um lugar mais perto do altar e ajoelharam-se numa vénia respeitosa. Sentaram-se nos bancos compridos …

Continuar a ler Retalhos de vidas – Quarta parte Xavier e Branquinha

Retalhos de Vidas – Terceira parte António e família

António quis certificar-se, mais uma vez, que as duas seriam discretas. Não lhe convinha nada que se começasse a falar na vida dupla que tinha levado até agora. O seu Tio, ainda ignorava o namoro dele com Mariazinha e era imperativo que continuasse nessa ignorância. Logo na manhã seguinte dirigiu-se a casa da Mariazinha. Falaria …

Continuar a ler Retalhos de Vidas – Terceira parte António e família

Retalhos de vidas – Segunda parte Mariazinha e António

  E os dias, os meses e até mesmo mais um ano inteirinho se passaram e António não dava sinais de querer avançar para algo mais sério. As obras na Igreja já tinham terminado e António voltou para Vila Real durante uns tempos. Disse a Mariazinha que precisava de resolver por lá uns assuntos pendentes. …

Continuar a ler Retalhos de vidas – Segunda parte Mariazinha e António

Desolação

Cristina Sottomayor

Desolação
O dicionário diz que é sinónimo de:
Isolamento emocional; Desamparo.
Devastação. Ruína.
Extrema tristeza.
Aflição.
Consternação.

Corações desolados. Quem os poderá compreender? Quem lhes sabe o que vai lá por dentro? Quem lhes adivinha a perdição? Quem quer ser o amparo de um coração isolado emocionalmente? Quem?
Apenas um outro coração igualmente isolado. Só esses se reconhecem, só eles se podem aconchegar uns aos outros.
Mas será isso o que um coração desamparado precisa? De algum amparo? Não, mil vezes não! O que um coração desvastado quer é que lhe arranquem para sempre a tristeza, a angústia corrosiva e os pensamentos escusados, por serem estéreis e nefastos para o seu dia-a-dia. O coração arruinado quer voltar a sorrir, quer ser alegre, quer brincar e sentir-se de novo vivo! O coração extremamente triste quer a salvação… quer que o salvem…
O coração aflito quer voltar a ser o que era:…

View original post mais 232 palavras

O julgamento do Coração Culpado

  Na véspera do seu Julgamento o Coração não conseguiu dormir. A angústia afugentava-lhe o sono. Ainda o sol não se tinha levantado e já o pobre do Coração, farto de dar voltas, estremeções, cambalhotas e saltinhos para adormecer, decidiu levantar-se e preparar-se para o dia difícil que estava para começar. Quando entrou no Tribunal, …

Continuar a ler O julgamento do Coração Culpado